Google Rich Snippets

Google “Rich Snippets” dão destaque à sua página em sites de busca

By | Consultoria em SEO | Seja o primeiro a comentar!

Você já deve ter reparado que há algum tempo os sites de busca estão se adequando mais às nossas necessidades. Hoje, com toda a correria do cotidiano, não sobra muito tempo para buscarmos a fundo informações sobre uma empresa, produto ou pessoa de nosso interesse. Para facilitar, o Google desenvolveu uma maneira para que os principais dados estejam ao nosso alcance sem precisar de muitos cliques ou minutos de pesquisa.

Exemplo Google Rich Snippets

Exemplo Google Rich Snippets

Os “rich snippets” são informações adicionais que dão destaque ao conteúdo em um site de busca. Estas informações podem ser imagens do produto, avaliação ou preço, e estão disponíveis antes mesmo que o site seja acessado. Dessa forma, facilita nossa pesquisa para que possamos ir direto ao que nos for mais interessante sem perder tempo. Os “rich snippets” fazem com que a página se destaque e tenha mais acessos, uma vez que já trazem a informação antes mesmo do usuário entrar no site. Consequentemente, no caso de E-Commerce, aumentam as visitas e vendas da loja.

Portanto, para que os “rich snippets” tornem-se uma nova ferramenta para atrair novos visitantes a sua loja e para utilizá-los a seu favor, é necessário que sejam aplicados os “Microformatos”, que são marcações simples no código fonte de seu sistema utilizadas para descrever os tipos específicos de uma informação em sua página web, como: preço, nome do produto, imagem do produto e etc. São conhecidos também como entidades e geralmente são feitos no formato class em tag HTML.

A plataforma de e-commerce desenvolvida pela Digital Up disponibiliza este recurso de forma nativa e automática para você ganhar destaque na internet. Com os “Microformatos” espalhados em sua loja virtual os seus produtos possuem mais chances de terem seus títulos, descrições, preços, imagens e avaliação de clientes com um maior visibilidade nos resultados do Google. Mais uma vez a Digital Up sai na frente e é a pioneira em utilizar “microformatos” em sua plataforma de e-commerce.

Saiba mais sobre Rich Snippets: https://support.google.com/webmasters/answer/99170?hl=pt-br

Saiba mais sobre Microformatos: https://support.google.com/webmasters/answer/146897

Google Hummingbird SEO Porto Alegre

Google Hummingbird – O que muda em SEO com a nova atualização

By | Consultoria em SEO | Seja o primeiro a comentar!

Google Hummingbird

Rápido e preciso”. São essas as qualidades que inspiraram o nome da última atualização de algoritmo de busca do Google Hummingbird, ou beija-flor, em português.

Com essas mudanças, muitas pessoas se perguntaram: “O SEO morreu?“. A resposta curta é: não.

As últimas atualizações apenas confirmaram o que já vinha acontecendo desde o ano passado, com as atualizações Penguin e Penguin 2.0: o foco será cada vez mais em conteúdo de qualidade e construção de autoridade, e menos na parte “engenheira” do SEO.

Google Hummingbird: Com o Hummingbird, os resultados de buscas para os usuários devem tornar-se ainda mais precisos, uma vez que a análise do Google passa a ir além da palavra-chave: o buscador considera agora não só os termos buscados, mas também o significado daquela busca, incluindo aí sinônimos e o contexto em que os termos estão inseridos nas páginas. Passa a considerar também outros fatores mais complexos, como a localização do usuário e até mesmo pesquisas anteriores realizadas por ele.

Isso não significa que devemos deixar de lado o que já conhecíamos sobre otimização on e off-page. Muitos fatores ainda são e continuarão sendo muito importantes para o posicionamento no Google.

Neste post, vamos citar quais são as melhores práticas e o que sua empresa deve evitar se quiser conquistar ou manter uma boa posição no Google.

Uso de Palavras-Chave

Todas as ferramentas de busca se baseiam em palavras-chave para fazer a indexação de uma página. Isso sempre aconteceu e continuará acontecendo.

Uma das práticas que foi utilizada por muito tempo e hoje é um grande tiro no pé é o “keyword stuffing”. Trata-se de escolher uma palavra-chave e utilizá-la muitas vezes na página de forma forçada.

Outra prática que também não é mais válida é o uso de domínios com palavras-chave do tipo “www.palavra-chave.com.br”. A não ser que o conteúdo do site seja bom e esteja em dia com as melhores práticas de SEO, esse não é mais um fator válido.

Atualmente, as palavras devem aparecer naturalmente ao longo do texto e em outros locais, como Page Title, tags H1 e H2, URL, meta description, etc.

Resumindo:

  • Escolha uma palavra-chave para cada página do site e cada post do blog e utilize-a no texto, page title, descrição, URL, tópicos, etc. de forma natural, sem exagerar na quantidade. Uma boa pesquisa de palavras-chave ajuda bastante nessa tarefa.
  • Depois de feita a pesquisa de keywords, decida o que fazer com cada palavra-chave.
  • Faça conteúdo relevante para essas palavras e para todo o site. Ser relevante é algo que o ajudará não apenas na posição no Google, mas na retenção da atenção dos visitantes.

Acessibilidade e SEO On-Page

Outro ponto que sua empresa deve se preocupar e é algo com o qual as ferramentas de busca tem dado bastante atenção é com a acessibilidade do site.

As boas práticas são:

  • Certifique-se de que a navegação do site não é complicada e que um visitante encontre de forma fácil a informação que ele procura.
  • Utilize nas imagens as Alt Tags, também conhecidas como texto alternativo. Por mais avançados que sejam, os motores de busca ainda não sabem olhar e interpretar uma imagem. Escolha para cada imagem do site uma palavra-chave relevante. Essa prática possui um duplo benefício: melhorar a acessibilidade e fazer com que as imagens sejam indexadas no Google.
  • Cheque se o site de sua empresa funciona de forma apropriada nos principais navegadores disponíveis, bem como em outras plataformas, como smartphones e tablets e outros sistemas operacionais.
  • Faça um bom SEO On-Page. Certifique-se que as palavras-chave estão sendo usadas de forma adequada em todos os elementos da página e se não há nada que possa gerar uma dor de cabeça no futuro. Esse post explica como otimizar sua página utilizando o RD Station

SEO Off-Page: como fazer e o que deve ser evitado

SEO Off-Page, como o nome sugere, trata das ações de SEO que são realizadas fora do site de sua empresa, o chamado Link Building.

Diversas práticas que eram utilizadas antigamente hoje são consideradas Spam e, além de não ajudar no SEO, pode até prejudicar o posicionamento do site da sua empresa.

O que deve ser evitado (leia-se: NÃO faça):

  • Article Spinning: Trata-se de fazer mudanças em um artigo para postá-lo em diferente sites, com links para o seu próprio site. Basicamente, a ideia transmitida continua a mesma, porém com algumas palavras trocadas por sinônimos, parágrafos reescritos, etc. O Google sabe reconhecer essa prática e a considera “black hat”.
  • Comentários Spam: Não adianta mais sair comentando em diversos sites e blogs apenas para postar lá um link para o site de sua empresa. A não ser que o comentário seja relevante e o link que você postar tenha relação com o que você diz, essa é uma técnica a ser evitada.
  • Usar o mesmo texto âncora em muitos artigos que são postados em outros sites. Fazer isso pode parecer Spam para as ferramentas de busca. O ideal é, para cada artigo postado em outro lugar, escolher uma palavra-chave e focar o conteúdo na mesma.

O que pode (e deve) ser feito:

  • Crie conteúdo de qualidade no blog e busque posicionar-se como autoridade em seu mercado. Fazendo isso, sua empresa irá receber links de qualidade de forma orgânica. Ofereça também conteúdo rico, como eBooks, whitepapers, webinars, etc. Além de todos os benefícios para a geração de Leads, é um ótimo artifício para conseguir links de outros sites.
  • Faça Guest Posts em blogs e sites que sejam realmente relevantes em seu mercado e que possam trazer um tráfego qualificado.
  • Faça comentários relevantes e construtivos em outros blogs, de preferência nos que sejam importantes no mercado em que sua empresa atue.
  • Utilizar o Google Webmasters Tools para identificar qualquer erro de rastreamento que possa estar prejudicando o desempenho do site da sua empresa, bem como ver quais são os sites que possuem algum link para o seu.
  • Se houver links de baixa qualidade apontando para o site ou blog de sua empresa, use a ferramenta Google Disavow Links para fazer o Google ignorar esses links ruins.

 Google Hummingbird SEO

Conteúdo e Mídias Sociais

Além de conteúdo relevante, que já citamos anteriormente, outro fator importante que tem tido impacto no SEO é o social.

Um conteúdo que tem um bom número de compartilhamento, além ser um social proof – uma prova para o visitante de que o conteúdo é bem recomendado – também é para as ferramentas de busca uma indicação de que o conteúdo é de qualidade.

Incentive o compartilhamento colocando widgets no site e blog, como o que aparece ao lado esquerdo deste post.

Outro fator de extrema importância para o SEO é o Google Autoria. Caso ainda não possua perfil, cadastre-se no Google+ e certifique-se de utilizá-lo no blog da empresa.

Google PageRank Update

Google volta a atualizar PageRank

By | Consultoria em SEO | Seja o primeiro a comentar!

O Google anunciou hoje uma nova atualização de PageRank, métrica de algoritmos que analisa e qualifica sites e blogs. O comunicado pega a todos de surpresa, já que Matt Cutts, chefe de busca de spam do Google, anunciou recentemente que a ferramenta não passaria por quaisquer atualizações até 2014.

O último update do PageRank foi realizado há mais de 10 meses e, após o anúncio de Matt Cutts sobre o assunto, não havia esperanças de alteração no projeto. Mesmo sem declaração oficial, a expectativa era de que a ferramenta fosse extinta em pouco tempo.

Um dos indicadores de que o PageRank seria cancelado era a ausência de suporte da funcionalidade para alguns navegadores mais antigos. Porém, ao que parece, o maior e mais simples indicador de métrica do Google ainda continuará no ar.

Google Hummingbird

Google Hummingbird: o impacto do novo buscador para seu negócio

By | Consultoria em SEO | One Comment

Google Hummingbird

No dia 27 de setembro de 2013 o Google não só comemorou seu 15º aniversário, como também anunciou uma grande atualização no seu popular mecanismo de busca, apelidada de “Hummingbird (beija-flor em inglês). A referência ao pássaro se deve justamente à agilidade e precisão conferidas pela atualização à ferramenta.

Ao contrário das últimas atualizações nomeadas Penguin e Panda, o Hummingbird se destaca pela maneira como o Google interpreta diferentes tipos de consultas, obtendo o real significado atrás de cada termo pesquisado. Importante salientar que as demais atualizações foram ajustes em cima de um mesmo algoritmo matemático criado em 2001. Desta vez, o Google lançou um mecanismo totalmente novo.

Entendendo o Google Hummingbird

Já sabemos que o Google se integrou definitivamente às nossas vidas cotidianas. Recorremos à busca diversas vezes por dia, desde uma pesquisa acadêmica até uma pergunta corriqueira como “qual a idade do Silvio Santos?”. Quando achávamos que o mecanismo de busca já estava evoluído o suficiente, eis que o Google se reinventa: agora, o novo algoritmo tem como objetivo analisar o modo como os termos de busca são escritos, palavra a palavra, para oferecer melhores respostas às perguntas dos usuários. Na prática, é uma melhora na compreensão da intenção do usuário ao realizar uma pesquisa. Além disso, o algoritmo lidará melhor com pesquisas por conversação, considerando o número crescente de usuários de busca móvel e de pesquisa por voz.

Impacto do Hummingbird

O que esta mudança significa para os usuários?
A busca ficou ainda mais intuitiva, ou seja, os usuários terão mais facilidade para chegar ao conteúdo desejado. Os resultados da busca exibem respostas mais eficientes para as necessidades dos usuários.

O que esta mudança significa para seu site?
Segundo o Google, não há nada de novo com que precisamos nos preocupar neste momento. De qualquer forma, baseados nas mudanças do comportamento do algoritmo, entendemos que algumas coisas tornam-se cada vez mais importantes. A “bola da vez” é o contexto do seu conteúdo e ele deve ser profundo e rico.

A era do contexto

Cada vez mais as buscas são baseadas em perguntas, como : “como fazer… ? “, “onde está o mais próximo… ? “, “onde eu posso conseguir…?”, etc. Interpretando essas frases mais longas, o Google precisa fornecer resultados diferentes para cada uma delas baseado em contexto. Para isto, precisa detectar a intenção da pesquisa, dividindo-a em três categorias: navegacionais, informativas e transacionais. Verifique se o seu conteúdo abrange cada um dos três tipos de busca: buscas navegacionais são caracterizadas pela intenção de encontrar um site específico, por exemplo, “site da adidas brasil” ou apenas “nestlé”. As buscas informativas se caracterizam pela intenção de encontrar algo específico ou tirar uma dúvida, por exemplo, “dicas de maquiagem” ou “marcas de purificador de água”. Já as buscas transacionais ocorrem quando há a intenção de realizar alguma atividade, por exemplo, “alugar carro em sp” ou “onde fica o starbucks mais próximo”.

Aumentar o detalhe do conteúdo, principalmente em páginas de produto/serviço, que geralmente são mais pobres, aumentarão as chances dele ser resposta a uma gama mais ampla de expressões de busca. Além disto, permitir que os visitantes possam compartilhar e comentar pode ajudar a manter o conteúdo popular e fresco.

Atenção à busca universal

Outro ponto importante é nos atentarmos à busca universal, que exibe elementos mais visuais, além dos resultados em texto, como vídeos, imagens, avaliações, etc. Este tipo de resultado já existia antes do Hummingbird, no entanto, agora eles serão ainda mais utilizados, uma vez que a intenção da busca será detectada. Por exemplo, para buscas por “exercício de tríceps em casa”, vídeos com este treinamento sejam resultados bastante relevantes. Já para uma busca por “lojas de móveis na Mooca”, mapas listando os estabelecimentos seriam resultados ideais. Proporcionando este tipo de conteúdo, você pode gerar tráfego extra para seu site utilizando diversos canais. Para isto, você pode considerar ampliar a presença da sua marca criando uma lista no Google Maps, produzindo vídeos para o YouTube e otimizando as imagens do seu site para o Google Images.

Oferecer um site mobile também tornou-se fundamental, uma vez que a busca por voz está cada vez mais sendo utilizada nestes dispositivos, para isto, é recomendável o design responsivo (que adapta o conteúdo da página conforme o dispositivo e resolução do visitante). Neste cenário, exiba apenas o essencial para a versão mobile e sempre pense em contexto. Um visitante desktop ao acessar o site de um restaurante talvez esteja interessado em saber mais informações sobre o local, ver fotos do estabelecimento ou ler o cardápio. Já um usuário mobile, muitas vezes quer apenas saber informações cruciais como o endereço ou o telefone do restaurante. Exibir estas informações de forma rápida e clara a este público pode ser um fator muito importante. Ainda dentro deste tema, vale ressaltar que o Google investe cada vez mais na busca móvel, priorizando resultados com base na localização dos usuários. Neste caso, trabalhar nas páginas informações como endereço, CEP, nome da rua e telefone são fatores que ajudarão na busca local.

Conclusão

O Google Hummingbird concentra-se no significado por trás das palavras, compreendendo melhor a intenção de uma busca. Sabendo disto, entramos numa era baseada em contexto, onde sua página será relacionada se ela apresentar o melhor conteúdo contextualizado para cada tipo de consulta. Isto significa que precisamos adaptar o conteúdo pensando em três tipos de comportamentos: navegacionais, informativos e transacionais.

Traçar uma nova estratégia, pensada neste novo cenário de busca, pode ser um fator de sucesso para a performance de suas campanhas de marketing digital.

Fonte: Exame.com

pagerank

Matt Cutt diz que não haverá atualização para PageRank neste ano

By | Consultoria em SEO, Notícias | One Comment

Nesta semana, ao responder uma pergunta do usuário Niels Bosch pelo Twitter, Matt Cutt, chefe da equipe Webspam do Google, deixou claro que não há nenhuma atualização programada para o PageRank até o ano de 2014.

A última atualização foi feita em fevereiro deste ano e, até então, o Google não disponibilizou nenhuma ferramenta ou complemento para o Chrome, capaz de possibilitar a visualização do PageRank de um site.

Pode ser que daqui a algum tempo essa funcionalidade não esteja mais disponível para ser visto por qualquer usuário dos sistemas de busca do Google, mas vale deixar claro que ainda não houve nenhum anúncio oficial sobre o fim, de fato, do PageRank.

Como criar Perfis no Google Analytics?

Como criar Perfis no Google Analytics?

By | Consultoria em SEO, Marketing Digital

Google Analytics

A criação de perfis dentro do Google Analytics permite que você visualize relatórios de tráfego para websites específicos, subdomínios, áreas específicas de um site ou até mesmo tipos específicos de tráfego (por exemplo, do Google AdWords ou referências) de um website. Cada perfil que você cria representa uma visualização distinta de dados referente a uma única propriedade da web. Por exemplo, se você tiver dois perfis não filtrados para a mesma propriedade da web, terá duas visualizações idênticas não filtradas de dados para a mesma propriedade da web. Leia Mais

Divergência de Dados entre o Google Analytics e o AdWords

By | Consultoria em SEO, Links Patrocinados, Marketing Digital

GoogleAdWords X Google Analytics

Se você possuí campanhas no Google AdWords, que estejam vínculadas aos relatórios do Google Analytics, certamente já ficou com dúvidas sobre os motivos que levam à quantidade que cliques gerados no AdWords não serem os compatíveis com os acessos no Analytics. Para tirar estas dúvidas, e também para que meus relatórios fossem mais completos e precisos, decidi escrever este post com os principais motivos destas divergências.

Todos os relatórios do AdWords no Google Analytics importam dados diretamente do sistema do AdWords e correspondem normalmente aos dados da sua conta do AdWords com precisão. No entanto, existem circunstâncias em que os dados podem diferir:

  • A comparação de intervalos de dados longos poderá incluir períodos em que as suas contas não estavam associadas.
  • A aplicação de várias origens de custos de contas do AdWords diferentes no mesmo perfil do Google Analytics complica as informações dos relatórios.
  • Os filtros poderão remover alguns dados dos relatórios do Google Analytics. Verifique se não existem filtros a editar os seus URLs de destino da campanha.
  • Os dados do AdWords são importados para o Google Analytics enquanto visualiza o seu relatório, pelo que os dados são sempre de última hora. Leia Mais

Mas afinal, o que é PageRank?

By | Consultoria em SEO, Geração de Conteúdo

Mas afinal, o que é PageRank?

Se você é novo nas questões da otimização para os motores de busca, ou meramente um curioso que pretende saber como colocar os seus artigos nas primeiras páginas dos motores de busca, e em particular do Google, compreender o PageRank poderá ser vital.
Hoje vou-lhe aqui explicar as noções básicas de compreensão do algoritmo do PageRank, e explicar-lhe até que ponto se deverá preocupar com ele.

Google PageRank

O PageRank foi criado por Larry Page e Sergey Brin, os fundadores do Google, e hoje praticamente ninguém conhece a 100% a forma de trabalhar do algoritmo, tal a sua complexidade matemática. O PageRank é um conjunto de fórmulas matemáticas, que medem o peso e relevância de determinadas páginas, nas pesquisas do motor de busca Google. Na realidade é por causa desta elevada eficiência, que o Google se tornou rapidamente o motor de busca mais utilizado do mundo. Leia Mais